Quinta, 28 Outubro 2021 09:45

ZERO DISCRIMINAÇÃO

Avalie este item
(1 Votar)

Prefeitura lança curso ‘Zero Discriminação HIV e Aids’ aos profissionais da Saúde de Manaus

A Prefeitura de Manaus, em parceria com o Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/Aids (Unaids), realizou o lançamento do curso “Zero Discriminação HIV e Aids”, nesta quarta-feira, 27/10, no Casarão da Inovação Cassina, Centro. O público-alvo é formado por profissionais da Saúde e representantes da sociedade civil, engajados na prevenção à doença e no combate à discriminação. 

Atualmente em Manaus, 13.316 pessoas que vivem com HIV/Aids são acompanhadas nos serviços de saúde. A secretária municipal de Saúde, Shádia Fraxe, destacou que o curso vai ampliar o trabalho que a prefeitura já realiza no combate ao preconceito e à discriminação, com objetivo de qualificar o atendimento e fortalecer o acesso da população aos serviços de prevenção e controle da doença.

“Todo tipo de preconceito, discriminação, misoginia, homofobia, de uma forma ou de outra, representam uma barreira a mais no acesso da população aos serviços. Se uma pessoa, por timidez ou vergonha, evitar procurar atendimento em uma unidade de saúde, não terá acesso aos serviços de prevenção, diagnóstico ou ao tratamento precoce, que permite um melhor prognóstico e uma melhor qualidade de vida às pessoas vivendo com HIV/Aids. Então, é essencial reforçar a qualificação dos profissionais, para acolher todos da melhor forma possível e lutar contra a discriminação”, afirmou a secretária.

A formatação do curso, que também contou com a parceria da Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco) e da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), traz cinco módulos obrigatórios e três optativos, com duração de 90 horas, coordenado e ofertado por meio da plataforma Mooc Zero Discriminação da UFRGS.

Segundo a diretora do Unaids no Brasil, Cláudia Velasquez, o curso aborda temas como direitos humanos, história natural e epidemiologia do HIV e Aids, o processo saúde-doença, vulnerabilidade em saúde, estigma, preconceito, discriminação e direitos sexuais e reprodutivos.

“O curso pode ser acessado pelo público em geral, mas foi desenhado especificamente aos profissionais de saúde, como forma de combater o estigma e discriminação que são grandes barreiras para o acesso aos serviços. Acreditamos que trará muitos benefícios e vai ajudar a melhorar a qualidade da atenção às pessoas vivendo com HIV”, afirmou a diretora. 

Estruturado no formato Massive Open Online Course (Mooc), o curso está disponível desde o dia 20/10, na plataforma Lumina, da UFRGS. Para ter acesso, basta cadastrar-se na plataforma, por meio do link https://bit.ly/3BbQzmB, e responder a um questionário de perfil sociodemográfico.

O educador social Marcos Garrido Assipal, da Organização Não Governamental (ONG) Rede de Amizade e Solidariedade, participou da cerimônia de lançamento e afirmou que o curso é muito importante e que a questão da discriminação deve ser mais discutida pela sociedade. 

“A discriminação ainda é muito grande e por isso deve ser um tema mais debatido, repassando conhecimento para outras pessoas, porque há muita falta de informação”, declarou marcos Garrido. 

Participando do lançamento do curso, a titular da Secretaria Municipal da Mulher, Assistência Social e Cidadania (Semasc), Jane Mara Silva de Moraes, afirmou que o curso será fundamental para os profissionais da área de proteção social.

“A assistência social, assim como a saúde, é uma política pública importantíssima, também realizando atendimento às pessoas vivendo com HIV. Vamos incentivar os profissionais no âmbito da assistência social, principalmente nos serviços de porta de entrada de atendimento, para que façam o curso e possam ter um conhecimento maior e mais aprofundado no combate à discriminação”, garantiu Jane Mara.

 

Prevenção e Controle

A Prefeitura de Manaus, por meio Semsa, executa ações de prevenção e controle do HIV/Aids, incluindo a oferta de preservativos em todas as unidades de saúde em livre demanda, e de testagem rápida em 133 delas. 

Também há o atendimento de pessoas vivendo com HIV por meio dos Serviços de Atenção Especializada (SAEs) na Policlínica Comte Telles (Zona Leste), na Clínica da Família Franco de Sá (Zona Oeste), Clínica da Família Antônio Reis (Zona Sul) e Policlínica José Antônio da Silva (Zona Norte), assim como nas Unidades de Saúde Arthur Virgílio (Zona Norte) e na UBS Leonor Brilhante (Zona Leste).

A rede municipal conta ainda com a oferta da Profilaxia Pré-Exposição ao HIV (PrEP) na clínica da família Raimundo Franco de Sá, localizada no bairro Nova Esperança, zona Oeste, e que consiste no uso diário de uma medicação antirretroviral, que tem a função de impedir que a pessoa seja infectada pelo HIV, e é indicada para um público específico de pessoas com maiores chances de entrar em contato com o vírus.

 

 

— — — 

Texto/SEM COM PMM

– Eurivânia Galúcio / Semsa

Foto – Camila Batista / Semsa

 

 

SEMCOM PMM